27 de novembro de 2014

Deli Handmade


Ainda não acredito como nós demoramos tanto para conhecer o Deli Handmade, uma das hamburguerias mais simpáticas da cidade! Nos últimos meses, tivemos várias indicações de amigos sobre o local e ouvimos maravilhas sobre os sanduíches de lá. Tentamos conhecer a casa em outras duas oportunidades, mas chegamos mais tarde e já tinha fila de espera na porta. A dica para conseguir uma mesa lá dentro é chegar cedo, antes das 19h.

O Deli funciona em um pequeno espaço na rua Antônio Aleixo, em Lourdes. A maioria das mesas fica na calçada, mas vale a pena ficar na parte interna, que tem música ambiente, luz baixa e uma decoração fofa. Ao longo do pequeno corredor, há quatro mesas com sofás, o bar e alguns banquinhos. Em frente às mesas, a parede de madeira é enfeitada com quadros e placas temáticos. Mesmo com a casa cheia, o atendimento foi bastante eficiente. Os dois garçons que nos atenderam foram atenciosos, deram boas sugestões e, sempre que passavam perto da nossa mesa, perguntavam se estava tudo certo.

O cardápio é bem completo e tem ótimas opções de petiscos, saladas e sanduíches. Como já sabíamos que os hambúrgueres eram grandes, decidimos pular a entrada e gastamos um tempinho a mais escolhendo as combinações que mais nos agradavam. Pedimos os dois sanduíches para dividir e com batatas fritas artesanais - a outra opção de acompanhamento são os chips de batata doce. Da próxima vez, vamos experimentar!


O primeiro e melhor da noite foi o J Fat Boy, feito com pão australiano, blend de picanha 200g, creme de cheddar ao Jack Daniel's, bacon e chutney de cebola (R$ 30,90). O que eu mais gosto no pão australiano é o sabor levemente adocicado, aquele gostinho de mel lá no fundo, combinado com a textura tão macia que quase esfarela na boca. Para a nossa alegria, o pão do Deli estava exatamente assim! O generoso hambúrguer de picanha, coberto por uma boa quantidade de um creme de cheddar consistente, veio ao ponto e estava macio e saboroso. Para completar, o chutney de cebola preparado na casa harmonizou bem com a carne e, por mais que fosse mais um ingrediente doce, não deixou o conjunto enjoativo.


O outro pedido foi o Goat Farmer (R$ 32,90), uma das novidades do cardápio lançadas em setembro. O sanduíche é montado no pão de hambúrguer e leva blend de picanha 200g, queijo de cabra, relish de tomate com semente de mostarda e duas tiras de bacon super crocantes. Sem dúvida, os sabores aqui são muito mais suaves do que os do J Fat Boy, e talvez esse tenha sido o motivo de o Goat não ter nos agradado tanto. Não que a combinação aqui não seja boa, mas ela realmente perde um pouco da graça quando comparada à explosão de sabores do outro sanduíche. As fritas, macias por dentro e crocantes por fora, são suficientes para uma pessoa. Se você pedir só um sanduíche para dividir, talvez valha a pena pedir uma porção extra.


Antes de pedir a sobremesa, já estávamos tão satisfeitos que pensamos em deixar para a próxima vez. Mas a Mari, do Passaporte Pronto?, falou tão bem do ‘bolinho que parece um petit gateau, com muita calda e um picolé’ que não conseguimos resistir! Pedimos o famoso Trop bon para dividir: o fondan de chocolate meio amargo, crocante de amêndoas, calda fudge e picolé de frutas vermelhas (R$ 28,90) é delicioso! Além da apresentação maravilhosa, com muita calda escorrendo do potinho e o picolé afundado no bolinho, achamos tudo muito gostoso. O cítrico do picolé quebrou um pouco o doce do chocolate, e as amêndoas, que também serviam de decoração, deram um gostinho especial. Imperdível!

Vamos voltar?
Claro! Depois dessa ótima experiência, o Deli entrou para o nosso top 3 de hamburguerias de BH. Os preços são mais altos do que a média, mas os sanduíches são grandes e dá para dividir numa boa. Além disso, o cardápio é autoral e oferece opções bem originais.

Deli Handmade
Rua Professor Antônio Aleixo, 591
Lourdes

18 de novembro de 2014

‘Experimente o Vinho do Mês’ aquece venda em restaurantes


Enquanto muitos restaurantes sofrem com a maior crise que o setor gastronômico vem enfrentando, uma ação voltada exclusivamente para vinhos comprova que qualidade e preço acessível são uma combinação capaz de reverter qualquer curva decrescente. Lançado no início deste mês, o ‘Experimente o Vinho do Mês’, promoção que põe rótulos dos mais prestigiados países europeus e do Novo Mundo na mesa dos belo-horizontinos por R$ 50, bateu suas metas comerciais logo no primeiro final de semana em cartaz.

Das 13 casas que aderiram à promoção, seis venderam toda a cota inicial e já fizeram novos pedidos. “Em três dias de vendas, restaram apenas cinco garrafas do produto promocional na nossa adega”, conta o sócio proprietário do restaurante Villa Roberti, Daniel Roberti. A receptividade do público foi tão boa que a estimativa comercial do projeto foi revista para mais 300%.

Outro endereço onde a ação superou as expectativas foi o Est! Est!! Est!!!. Das 48 garrafas que o sócio-proprietário Henrique Passini pediu, inicialmente, 42 foram vendidas nos primeiros cinco dias. Na semana passada, o restaurante recebeu mais 36 unidades. “Nossos clientes gostaram muito da ideia e do vinho, que é uma opção mais em conta e de ótima qualidade. Esperamos vender mais 50 garrafas neste final de semana”, comemora Passini.

Para a equipe do ‘Experimente o Vinho do Mês’, o fato reflete a nova tendência do mercado gastronômico. “Não faz sentido os belo-horizontinos gastarem mais, para almoçar ou jantar fora, do que os nova-iorquinos e parisienses”, afirma o idealizador da ação, jornalista Homero Gottardello. “O sucesso do projeto é a prova de que, quando todas as partes da cadeia baixam suas margens, o preço final se torna mais acessível e a demanda cresce”.

A adesão de novas casas, motivada pelo bom desempenho do ‘Experimente o Vinho do Mês’ nos restaurantes, já faz com que seu fornecedor exclusivo, a Casa Rio Verde, antecipe suas importações. “Como nossos rótulos demoram entre 60 e 90 dias para chegar ao Brasil, já definimos os vinhos que estarão em cartaz a partir do meio do ano que vem”, explica o gerente de importação, Haendel Roberto.

Só na primeira semana da ação, foram vendidas quase 30 caixas com 12 unidades cada. A expectativa é de que, em dezembro, outros cinco restaurantes se tornem parceiros do ‘Experimente o Vinho do Mês’. Para atender a essa demanda crescente, a Casa Rio Verde aumentou suas projeções e já considerando uma demanda de 1.000 garrafas mensais, o que dá uma média de 70 unidades por restaurante.

Saiba quais são os restaurantes participantes: Experimente o Vinho do Mês

13 de novembro de 2014

Nonna Carmela


Antes de escrevermos esse post e de o Nonna Carmela entrar para o nosso top 3 de restaurantes italianos de BH, fizemos três visitas à casa. Da primeira vez, durante a edição de março do Restaurant Week, saímos com uma má impressão. O jantar foi excelente e o atendimento foi ótimo, mesmo com todas as mesas ocupadas. Mas ficamos assustados com o valor cobrado pela rolha, um dos mais altos da cidade. Alguns meses depois, decidimos superar o trauma e voltamos ao restaurante em um sábado à tarde. A experiência foi ainda melhor do que a primeira. Valeu tanto a pena dar uma chance para o restaurante que, em menos de dois meses, fomos lá pela terceira vez!

Aconchegante é a palavra que melhor descreve o salão do Nonna Carmela, principalmente à noite, quando a iluminação fica mais baixa. Durante o dia, o ambiente é mais descontraído e familiar. A decoração da casa é simples e elegante, e traz elementos tipicamente italianos em quadros e esculturas discretas. No cardápio há boas opções de massas, risotos, carnes e peixes, além de saladas e petiscos. Em nossa visita mais recente, pedimos uma bruschetta de tomate com muçarela (R$ 16) para começar. A entrada era simples, mas veio exatamente como a gente queria. O tomate temperado cobria quase completamente as quatro fatias de pão, que estavam macias.


O primeiro prato principal do dia foi um penne alla siciliana, com camarão ao molho branco e perfume de limão siciliano (R$ 74), delicioso! A massa al dente veio mergulhada em uma quantidade impressionante de um molho cremoso e rosado muito gostoso. Os camarões cozidos eram grandes, tenros e tinham sabor marcante.


O cannelloni al salmone (R$ 54), feito com cream cheese e salmão ao molho branco gratinado, sem dúvida, foi o melhor prato que já experimentamos na casa! As três unidades eram grandes, bem recheadas e cobertas por um molho branco delicioso, que tinha textura perfeita e um sabor leve de queijo parmesão. O recheio equilibrava bem as quantidades do cream cheese e do salmão, que também estava bem suave. Tudo estava tão bom que a nossa vontade era de levar para casa e comer mais tarde.


No final, não sobrou espaço para a sobremesa, mas junto com a conta veio uma palha italiana artesanal ‘de brinde’. Simpatia também conta ponto para a casa!

Vamos voltar?
Sim! O Nonna Carmela tem um bom custo-benefício, oferece ótimas opções de massas e tem atendimento diferenciado. Os garçons, sempre atenciosos e solícitos, param para conversar com os clientes, conhecem bem o cardápio e estão prontos para dar sugestões.
  
Nonna Carmela
Rua Antônio de Albuquerque, 1.607
Lourdes

4 de novembro de 2014

Experimente o Vinho do Mês: novembro

Nos últimos anos, o setor gastronômico sentiu a escalada de inflação e os preços dos vinhos foram às alturas. Encontrar bons rótulos por menos R$ 65 se tornou uma missão quase impossível, mas uma novidade promete quebrar o paradigma de que "o que é bom tem que ser caro". Chegou a vez de os amantes da mais nobre das bebidas serem beneficiados por uma iniciativa que vai colocar, na mesa dos restaurantes belo-horizontinos, rótulos premiados de alguns dos melhores produtores do Novo Mundo e da Europa a um preço mais do que justo: R$ 50.

Durante 30 dias, quem for aos 11 restaurantes que fazem parte da promoção 'Experimente o Vinho do Mês' terá, além das opções das cartas de cada casa, um rótulo especialmente selecionado: simples assim, sem passaporte ou cartão de desconto. Mais do que uma indicação de qualidade, a ação tem como objetivo estimular o consumo através de uma parceria inédita entre importadores e restaurantes, que permite uma redução de até 55% no preço de cada rótulo.

Para o pontapé inicial, foi selecionado um Benaco Bresciano, o Trepiò. Produzido pela Civielle, uma referência desta indicação geográfica (Indicazione Geografica Tipica ou IGT) da Lombardia, esse vinho é feito a partir de uma combinação das uvas Gropello, Marzemino, Sangiovese e Barbera. Suas vinhas ficam nas colinas de Valtènesi, próximas ao Lago di Garda.


A casta Gropello, predominante no "blend", é cultivada na região desde o século 14 e, entre as características marcantes do Trepiò, destacam-se a cor rubi, o aroma frutado e delicadamente picante, além do sabor suave, com notas de chocolate, tabaco e a salinidade típica da baunilha. Sem dúvida, um rótulo que, por si só, já é um convite para quem gosta de vinho.

Os restaurantes participantes do 'Experimente o Vinho do Mês' combinam o melhor da cozinha internacional e da gastronomia autoral, em endereços nos mais prestigiados e tradicionais bairros de Belo Horizonte. Confira os parceiros da promoção: Birosca S2, Don Pasquale, El Toro, Ephigênia Bistrô, Est! Est!! Est!!!, Glouton, Oak, Patuscada, Saatore, Santa Pizza e Villa Roberti.