13 de outubro de 2014

Trindade


O Trindade é um dos lugares mais charmosos da cidade! O restaurante ocupa um antigo casarão no bairro de Lourdes, que passou por reformas mas manteve alguns detalhes originais, como o piso da varanda e uma parede coberta por azulejos no salão principal. A decoração da área interna mistura elementos clássicos e contemporâneos, como os painéis do artista Rogério Fernandes e os móveis mais rústicos, enquanto a área externa é aconchegante e intimista. Principalmente aos finais de semana, a varanda é o espaço mais concorrido do restaurante - também é o nosso preferido.

No cardápio, ingredientes tradicionais da cozinha mineira se misturam aos da cozinha contemporânea. O resultado são combinações originais que conquistam pela qualidade e pelo sabor. O garçom que nos atendeu, Laudimar Dias, foi simpático e atencioso do momento em que chegamos até a hora que saímos, quando já passava das 17h. De entrada, pedimos as tulipinhas de frango, indicação do garçom que foi aprovada. Feitas com um corte da asa e acompanhadas por um molho de mel e mostarda (R$ 24), as nove unidades eram crocantes por fora, macias por dentro e temperadinhas.


O primeiro prato principal que pedimos foi um Noisette de filet mignon com arroz proibido. A carne veio ao ponto, exatamente como foi pedido, e estava suculenta e macia. O arroz proibido, na verdade, era arroz negro com catupiry. Ele veio separado, estava realmente maravilhoso e combinou perfeitamente com os medalhões. Foi a primeira vez que comi arroz negro com catupiry e, pelo menos visualmente, ele veio diferente do que eu esperava. A consistência lembrou a de risoto, mas aqui os grãos estavam mais durinhos, e o sabor do queijo era suave.


A segunda escolha foi o Bacalhau Vera Cruz que, de acordo com o garçom, é um dos mais pedidos da casa. A apresentação do prato, como sempre, foi impecável. As duas postas generosas de bacalhau eram macias e tinham sabor suave, temperadas somente com azeite e alecrim. Como acompanhamento, os legumes orgânicos cozidos também estavam muito gostosos. Esse é um prato leve, delicioso e que vale a pena ser repetido.


De sobremesa, pedimos um crème brulée de doce de leite Viçosa com flor de sal (R$ 18). Ainda bem que não saímos de lá sem comer essa delícia! A casquinha crocante era fininha e cobria toda a superfície da vasilha. Por baixo dela, o delicioso creme de doce de leite, leve, molinho e frio, que conquistou nossos corações logo na primeira colherada. Dessa vez, pedimos um só para dividir, mas aposto que cada um teria dado conta de comer um inteiro. Na nossa opinião, é o melhor crème brulée de BH!


Vamos voltar?
Sim! Além do ambiente super agradável e dos pratos deliciosos, o Trindade tem uma cozinha autoral, preços compatíveis com o que oferece e atendimento diferenciado. Ficamos curiosos para experimentar o arroz de polvo, que com certeza será um de nossos pedidos da próxima vez!


Trindade
Rua Alvarenga Peixoto, 388
Lourdes

Nenhum comentário:

Postar um comentário